A história dos DVDs no Brasil

Quem desconhece a história está condenado a repetí-la.
(Bertold Brecht)

Resolvi publicar aqui no blog um ótimo texto originalmente publicado na comunidade Viciados em DVD EE, no Orkut. A partir da experiência do Fabrício (que coleciona DVDs desde 2000) podemos perceber o panorama do mercado de DVDs no nosso país, que pode ser resumido em períodos de altos e baixos, com mais baixos do que altos.

O texto é longo, mas vale a leitura!

“A evolução (ou involução) dos DVDs no Brasil”

Por Fabrício Lopes

Entra ano e sai ano e desde 2000 quando comecei a colecionar DVDs, as produtoras fazem cada coisa que não dá pra acreditar. Então vou traçar aqui a linha evolucionária (ou involucionária) das “Majors”.

2000

Warner
A mais antiga, chegou com o DVD no final de 1997 e inicio de 1998, em meados de 1999 ela tinha os direitos dos filmes dela mesmo e dos filmes da MGM, chegou a lançar alguns títulos da MGM, ainda hoje com alguns fora de catálogo.

Os títulos eram (somente para registro histórico):

  • 007 Contra Goldeneye, box Snap case (papelão), só com o trailer de cinema e widescreen;
  • Contagem Regressiva, box Snap case e fullscreen
  • Rocky, um Lutador, box Snap case e fulscreen
  • Rain Man, box Snap case e fullscreen
  • Yellow Submarine – Edição especial em Amaray (DVD Raro).

Os outros títulos da Warner seguiam um padrão: discos autorados pela Wamo (Warner Advanced Media Operations), discos replicados pela Videolar, totalmente prateado com o nome do filme em três idiomas silkados e monocromáticos (e que causava marcas de dedos), discos dupla camada tinham mídia laranja, o anel central era mais resistente, pois era de plástico. Os títulos infantis possuíam idioma em português, os outros não. Extras não eram legendados (exceto Máquina Mortífera 4), menus eram estáticos (exceto Cidade dos Anjos), extras eram cortados, boxes eram em Snap case. Vários títulos eram lançados em fullscreen (títulos de catálogo) e os lançamentos em widescreen. Vários títulos lançados nos EUA eram esquecidos.

Columbia (Sony)
Provavelmente a pioneira em qualidade de DVDs, chegou por volta de 1998 e 1999, iniciou com um pacote de lançamentos que eram títulos de catálogo, sem extras, ou somente trailer, os DVDs vinham com opções fullscreen e widescreen (dois lados). os DVDs iniciais eram totalmente produzidos nos Estados Unidos e exportados para o Brasil. Até hoje os títulos de catálogo da Sony nos EUA tem legendas em português ou dublagem, mas naquela época a Columbia não legendava extras. Foi pioneira em trazer filmes clássicos, lançando um selo “COLUMBIA CLASSICS”, que em alguns casos possuía até dublagem original da TV. Em meados de 2000 a produção já era feita no Brasil (duplicação), somente a autoração era americana. Os DVDs Columbia vinham com um encarte explicativo do filme e seleção de cenas. Os discos eram modelo Wamo, com pino central de plástico e quando era dupla camada, eram de mídia laranja. Os boxes eram em Amaray preto (quando eram feitos nos EUA era um outro tipo de estojo) e rótulo face simples. Os discos quando não eram DVD-10 (dupla camada) eles tinham um silk referente à arte do filme (mais lisa) o que não permitia marcas de dedo. Por volta desse ano a Columbia tinha um cadastro de clientes e mandava mensalmente para nossas casas os lançamentos do mês, estratégia que durou até 2002. A Columbia já tinha os direitos dos títulos da Universal em DVD desde 99 e até o final de 2001 lançou vários títulos (enquanto a CIC vídeo lançava em VHS ela lançava em DVD). Tivemos títulos que ainda estão inéditos pela própria Universal como O Chacal. Os discos eram autorados nos EUA e totalmente padronizados. Não existiam legendas nos extras, nem dublagem em português (salvo os dois primeiros Jurassic Park que saíram em 2000, mas sem legendas nos extras). Menus animados saiam em vários títulos Columbia e em alguns Columbia/Universal. Em agosto de 2000 a Columbia fez um lançamento especial de MIB Homens de Preto, com menus inovadores e vários extras, mas ainda sem legendas. Em outubro de 2000 ela foi a primeira produtora a lançar um DVD duplo, A Ponte do Rio Kwai, com vários extras sem legendas e um estojo preto especial, pois ainda não tínhamos o Amaray duplo. No final desse mesmo mês saia o primeiro DVD super especial duplo e todos os extras legendados. O grande sucesso Gladiador com o mesmo box preto. Em 2001 seria feito um repique com Amarays duplos e quem quisesse podia pedir pelo correio.

Fox
Entrou no mercado justamente em 2000. Os DVDs vinham com extras e com dublagem em português em vários casos. O grande problema era a falta de legenda nos extras. As legendas dos filmes eram traduzidas por alguém que não falava português, além da ausência de lançamentos e propaganda enganosa (boxes informavam extras inexistentes). Todos os DVDs usavam Amaray transparente, os rótulos eram dupla face, com a duplicação da Videolar. Todos os títulos tinham um encarte dos lançamentos do mês. Pino central de plástico, discos com silk reproduzindo cenas do filme, discos dupla camada com mídia laranja. Em novembro de 2000 ela lança seu primeiro DVD duplo, Coração Valente com um documentário legendado. Em dezembro inicia o câncer do DVD (que dura até hoje) o “Rental” (títulos de lançamento por preços absurdos e somente para locadoras). Os primeiros títulos foram X-Men e Titan A.E. A produtora também replicava os títulos da MGM/UA, pois ela passou a deter os direitos. Infelizmente ela começou a lançar as edições do 007 sem os extras (nos EUA era especial).

Buena Vista (Disney)
Iniciou no ramo dos DVDs em 1999, com uma promoção um tanto maluca: você comprava o VHS de Armageddon, A Rocha, Pulp Fiction, até o Limite da Honra, Duro de Matar A Vingança (além de outros) e você poderia enviar o rótulo desses DVDs para ganhar inteiramente grátis o DVD desses títulos da promoção. O problema era que eles demoravam meses para enviar e eram DVDs com menu ultra padrão, estático, sem extras, wide letterbox, disco prateado sem silk, somente com o nome do filme. Produzidos pela Videolar, disco com pino central de plástico, box Amaray preto, encarte de seleção de cenas, disco dupla camada em mídia laranja. Em 2000 fez o primeiro grande lançamento com alguns extras (todos legendados) que foi Corpo Fechado. A produtora seguiu o padrão de legendar os extras, mas os menus continuavam estáticos, DVDs simples e com poucos extras. O primeiro DVD duplo da produtora seria Pearl Harbor (que nos EUA era triplo) em 2002. Os primeiros desenhos Disney lançados foram em 2000, com Fantasia 2000, Fantasia, Toy Story (1 e 2) entre outros, mas eram bem mais simples que os americanos e normalmente em fullscreen.

2001

Paramount
Chega no Brasil em meados de junho, com seis lançamentos: Missão Impossível, Enigma do Horizonte, Os Dez Mandamentos, Top Gun, A Firma e Shaft. Somente Shaft tinha menu animado e dublagem, pois era o lançamento do mês. Ele tinha todos os extras legendados (menos o trailer), que se seguiu como padrão da produtora. Na época a Paramount usava DVD Amaray preto, com um encarte com seleção de cenas (esse encarte foi abolido no mesmo ano)os discos alguns tinham silk com imagens do filme, outros não, eram replicados na Videolar e tinha mídia laranja quando era dupla camada. Nesse mesmo ano ela teve dois grandes lançamentos. Forrest Gump duplo e o box de cinco discos de O Poderoso Chefão, inaugurando a idéia dos boxes das grandes trilogias.

Sobre a Videolar, no final de 2001 ela aboliu o pino central de plástico colocando um mais frágil que permitia trincar o disco, acabou com o DVD de dupla camada com mídia laranja, passando a ser prata.

Universal
Chegou ao Brasil em 2001 (final do ano) trazendo títulos da Dreamworks, pois a Columbia ainda tinha os direitos que foram renovados até 2002. O primeiro DVD foi Náufrago (duplo), com um encarte de várias páginas. E no mesmo ano saíram quase todos os títulos da Dreamworks. No final do mesmo ano saiu o primeiro box do Hitchcock com encartes legais nos DVDs. Os DVDs usavam box Amaray preto, encarte, DVD com silk com imagem do filme e liso. Lançamento do ano foi Shrek, com encarte e primeiro com menu animado e legenda nos extras e menu dublado. Infelizmente no ano seguinte ela passaria para a Microservice que tiraria os encartes dos DVDs, pioraria o produto em termos de autoração e suas embalagens.

Fox
Lança DVD triplo de Cleópatra e passa a legendar os extras mais comuns (comentários e trailer não), também lança Clube da Luta (com erro grosseiro nas legendas), o primeiro com luva. Lança o primeiro seriado, com a primeira temporada de Arquivo X, mas um disco vem episódios da segunda temporada o que faz o povo querer o primeiro recall da história do DVD aqui. A primeira edição numerada também é da Fox com o Exterminador do Futuro duplo. Arquivo X usa um Digipak “falso”.

Buena Vista (Disney)
Lança o primeiro Platinum Disney, em DVD simples, que foi Branca de Neve e os Sete Anões.

Columbia (Sony)
Inicia começa a legendar os extras da maioria dos filmes e lança o DVD duplo de Lawrence da Arábia com todos os extras legendados.

Warner
Continua sem dublar os filmes e nem legendar os extras.

2002

Columbia (Sony)
Passa a lançar a maioria dos lançamentos em fullscreen, e Homem Aranha estréia essa nova fase. Deixa de lançar muita coisa que sai nos EUA e para de mandar encartes pros fãs.

Warner
Passa a lançar os novos títulos em fullscreen, abandona o Snap Case, passa a legendar vários extras, a colocar silk com imagem do filme no disco, a usar Amaray transparente e rótulo dupla face. Lança alguns duplos, como Senhor dos Anéis e Harry Potter em Digipak. Inicia a coleção de relançamentos duplos com 4 DVDs: Um Estranho no Ninho, Amadeus, Cantando na Chuva e Os Imperdoáveis. Todos eles tinham uma luva de colecionador. Lança a primeira temporada do seriado Friends em Digipak e a mini-série Band of Brothers, iniciando uma fase de belos boxes.

Buena Vista (Disney)
Lança A Bela e a Fera, desenho da Disney em edição dupla com diversos extras.

Universal
Lança De Volta Para o Futuro num box feio de doer e mal enquadrado (que renderia um recall posterior).

2003

Warner
Começa a colocar dublagem em alguns antigos como Casablanca (duplo).

Columbia (Sony)
Quase não relança edição especial de mais nada e piora muito as suas edições. Fullscreen em todos os lançamentos importantes.

Paramount
Lança o box do Indiana Jones com a trilogia em um box muito bem acabado.

2004

Warner
Começa a lançar edições em latas de alguns filmes, como Casablanca, Cantando na Chuva, desenhos Looney Tunes e etc.

Fox
Finalmente lança a trilogia Star Wars.

Buena Vista (Disney)
Lança as primeiras latas Disney Treasures que tem uma tiragem de 5000 unidades, infelizmente por vendas baixas a série não vinga e é descontinuada após 4 lançamentos.

2005

Warner
Lança o primeiro DVD quádruplo, com …E o Vento Levou, em Digipak. Em julho do mesmo ano ela deixa a Videolar e passa para a Microservice, aí começa o fundo do buraco da produtora. A Warner para de lançar os duplos com luva nesse ano. Tira os rótulos dupla face. Os boxes em Digipak de seriados e filmes passam a ser uma história que os antigos fãs contam. Os boxes de filmes passam a usar um material pior e os discos da Microservice parecem mais artigo de pirataria.

Buena Vista (Disney)
Interrompe
o lançamento dos DVDs duplos para os Disney Platinum, estreando uma nova safra de cortes nos extras de DVDs.

2006

Warner
Para de lançar DVDs duplos para os lançamentos, muitos filmes sofrem com isso. DVDs de seriados somente em Amaray, número de lançamentos de clássicos e catálogo caem drasticamente.

Fox
Passa a lançar seus seriados com boxes slimcase.

2007

Disney
Volta a lançar DVDs duplos com Peter Pan e Piratas do Caribe 2.

Warner
Está pior que nunca. Deixa de lançar boxes de animação.

Universal
Passa a lançar seriados com estojos Escanavo (que colocam um disco sobre o outro).

2008

Mercado brasileiro de DVDs no fundo do poço.

Fox
Oficializa a comercialização dos títulos em Slimcase, baseada em uma pesquisa de origem duvidosa.

Responses

  1. […] A história dos DVDs no Brasil […]

  2. Injustiça você não ter incluído no ano de 2004 o melhor box já lançado na história do mercado brasileiro de DVDs! Matrix, coleção definitiva em 10 discos!

  3. Pessoal,

    Parabéns pelo post ” a história do DVD no Brasil”. Sabe que pensando como um empresário as vezes até entendo o que acontece as distribuidoras no mercado de DVD. Quando vc monta um negócio vc quer ganhar dinheiro, não é? Niguém monta um empresa por hobby. Por isso a redução de custos, busca por fornecedores com propostas de preços mais atraentes (leia-se microservice), sendo assim o negocio mais vivável e mesmo para que não seja descontinuado(falência). O nosso grande mal só tem um nome “PIRATARIA”, as pessoas se deixam ser seduzidas por uma cópia de um lançamento por R$ 5,00, por que não fazem questão de ter um caixinha bem acabada com um disco a mais cheio de extras. Infelizmente devido a isso, nós colecionadores, pessoas que valorizam tudo isso, somos afetados diretamente. Sabe que as vezes meu amigos me chamam de louco porque cheguei a pagar R$ 140,00 num DVD.

    Foi só um desbafo…

    Abraço a todos vcs.

    Edson

  4. Fique bem claro que não comentei acima, pois odeio Matrix !

  5. “2008

    Mercado brasileiro de DVDs no fundo do poço.”

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, chorei de rir…

    Infelizmente, é a pura verdade, ainda mais com a pirataria firme e forte, idiotas ainda falam mal de vc, caso compre original, se achando espertalhão por ter pago 2(DOOOOOOOOIS!!!) reias em um dvd de esquina. Onde vamos parar???

  6. lendo esse texto parece que o mercado de DVD nunca esteve em alta por aqui.

  7. no brasil so quem gasta dinheiro e anda de carro importado são os politicos….eu vou comprar meu piratinha mermo por 3 r$,que já ta bom demais,lá vem o novo blue-bosta pra tirar meus ultimos trocados.

  8. Nosso querido amigo Rodrigo Lima ai de cima é um cara bem eloqüente não acham?

  9. Gostei muito da matéria, realmente acho que o mercado dos dvd’s está indo mesmo para o fundo do poço, acredito que as produtoras vão começar a deixar os dvd’s de lado para impulsionarem as vendas do Bluray, de agora pra frente só vai ter lançamento porco para nós pobres mortais, é só ver a palhaçada que fizeram com o box de smallville 7ª temporada, não tem nem os nomes dos episódios na capa e nem nos menus, é uma lástima, eu que sou colecionador fico puto com isso, espero que agora que a warner está voltando para a antiga empresa melhore a qualidade dos boxes e dvd’s.

  10. LAMENTÁVEL!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: