Publicado por: Jotacê | janeiro 24, 2009

Revista semanal traz reportagem de capa sobre Blu-ray

capa

A “Revista da Semana” dessa semana [o_O] traz reportagem de capa sobre o novo formato de mídia digital. Em matéria de duas páginas (que reproduzo abaixo a partir da colaboração do leitor Fábio Vasques), trata o DVD como quase morto e diz que os disquinhos do raio azul estão cada vez mais baratos, chegando a festejar que o Blu-ray “é a façanha mais espetacular na breve história do home theater“.

Entitulada “A onda Blu-ray vem aí“, a matéria se baseia em publicações estadunidenses (como Washington Post e Holywood Reporter), sem esquecer de trazer dados da União Brasileira de Vídeo (UBV). Com um tom didático, também oferece uma “FAQ” sobre a novidade, sem esquecer de dizer que o Blu-ray, para ser aproveitado ao máximo, requer uma aparelhagem diferenciada.

Ao meu ver, até surpreende uma publicação popular como esta do grupo Abril abordar o assunto, ainda mais da maneira que foi feita. Só faltou fazer o paralelo entre as críticas que o formato recebe hoje com as que eram feitas pelo DVD quando do surgimento dele (que, para quem não sabe, são muito semelhantes).

Taí a reprodução da matéria. Clique para ampliar:

pag10 pag11

Agora só falta reportagem no Jornal Nacional e aparecer na novela das oito!

😛  😀

Anúncios

Responses

  1. heheh, quem escreveu isso esta totalmente alienado do mercado de home video, a matéria nada mais é do que uma forma de colocar o BD em evidencia, ainda que mais de 70% da populaçao [senão mais] nem sabe que o formato existe.

    A maior “façanha” do mercado de home video foi e é o DVD, e o BD está longe de bater esta revolução que o DVD causou no mercado de filmes.

    Abs,

    Paulo Camargo

    • @Paulo Roberto: você acha que essa matéria é paga? Se for, pelo menos estão preocupados em popularizar o formato a todo custo!

  2. A materia tem várias imprecisões também. Por exemplo: ao final, diz que um dvd demora “no minimo” 4 horas para baixar da internet (como assim “no minimo”?), e que um filme com qualidade Blu-Ray “demora dias”… Ora bolas, eu sequer tenho uma conexao “top” como as velocidades européias (ou as melhores conexoes brasileiras), e mesmo assim, com minha conexao de 6 Mbps, consigo baixar um filme em qualidade HD 1080p linhas em algumas horas tambem. É possivel baixar pelo menos 2 filmes desses por dia (com cerca de 8 a 12 GB cada um). Não é tããããooo dificil assim…

    É uma conexão cara para o padrão do brasileiro? Sim, é (custa cerca de 120 reais por mes). Mas pode-se lembrar que quem tem grana suficiente para comprar todos os equipamentos que o Blu-Ray exige (player, tv full-HD, receiver compativel com Dolby HD…) assina tranquilamente uma banda larga razoavel como a minha, pagando por mes menos que o preco de um unico disco Blu-Ray. Se baixar 2 ou 3 filmes em alta definicao por mes, já estará no lucro!

    Sei não… Que fatalmente vai rolar a substituicao do dvd é ponto pacífico, só não dá para acreditar que o cenário está essa maravilha toda que o artigo quer nos fazer parecer…

    • @Rubens: imprecisão é pré-requisito do jornalismo de tecnologia voltado para leigos. Nem dá pra crucificar o autor.
      E sobre baixar filmes: colecionador de verdade quer a mídia física e HDD não está incluído na lista (independente da conexão disponível)!

  3. Jotacê, é o seguinte, minhas mensagens de forma alguma tem objetivo de “crucificar” o formato, bem pelo contrário, voce sabe que eu trabalho com home video e seria uma felicidade para o meu negocio se o BD estivesse neste patamar que a matéria informa, mas o fato, é que comercialmente falando, o BD está muito longe disso. Eu tenho informacoes que chegam diretamente de varios representantes de produtoras no Brasil, as vendas aumentaram sim, mas estão muito longe do esperado. Lá fora as coisas não são tão diferentes, o que acontece é que com comercio eletronico, muitos BDs nos EUA estao sendo consumidos por estrangeiros, nem são os proprios americanos que estão mantendo esta industria de home video no momento. Se voce pega o potencial mundial de compradores de BDs, com certeza voce encontrará varias lojas faturando em venda, mas isso não é de forma alguma um crescimento “revolucionário” como foi o DVD que ocorreu no mundo todo e em cada regiao. Ainda que o BD venha a cair no gosto popular, ha de convir que a revolução na maneira de se assistir filmes se deu com a chegada do DVD, hoje voce tem um “dvd melhorado” e como eu sempre digo: essa revolucao toda que o BD promete pode talvez ocorrer no que diz respeito a interatividade do disco com o usuário, transformando um simples “assistir filmes” em um entretenimento diferente, fora isso, é pagar para ver.

  4. Ótimo. Agora só falta o aparelho baixar para 500 contos e os disquinhos para 29,90. heheheh

  5. Em breve, DVD vai ser nostalgia. E pelo visto vai ter muito fãs…

  6. Olha , não tenho dúvida q o formato está crescendo, mas não tem nível de comparação com o q houve com o DVD. Pelo menos ainda não. Falta um longo caminho ainda pro BD se consolidar e tomar de vz o lugar do DVD; bota longo caminho nisso. BD por enquanto é coisa de entusiastas como nós. O grosso do pessoal q apenas curte filme alugando no fim de semana sem ser entusiasta, colecionador, etc, nem sabe o q é Blu-Ray e dos poucos q sabem ainda tem uma parcela q não liga muito pra alta definição, formato de tela, resolução, etc. É gente q assite filme em full e dublado e acha q o BD nem é tão melhor assim.. Conheço muita gente assim, e não culpo, nem todo mundo é fanático por filmes como nós…Mas o fato é q achei q a matéria apresenta um entusiasmo exagerado; o BD tá muito longe ainda de ser popular como DVD é…

  7. Ótimo. Agora só falta o aparelho baixar para 500 contos e os disquinhos para 29,90. [2]

    • Como era o DVD no seu primeiro ou segundo ano de vida aqui no Brasil? A que preços os aparelhos eram oferecidos? Quanto custavam os poucos disquinhos? Muitos de vocês lembram, eu sei.
      Fora a questão de ter que trocar de TV para aproveitar o que o formato tem de melhor (problema que se resolverá na próxima Copa do Mundo), o cenário é idêntico.

  8. Lembro que meu pai comprou nosso primeiro player importado, mais de 1.200 reais, e por acaso eu estava nos EUA. Então, trouxe vários filmes, e por MUITO tempo eles eram os únicos na minha coleção. Só comecei a comprar mesmo depois que os preços baixaram. O caso aqui é o mesmo, por mais que reconheça a superioridade, não vou investir num player ultra-caro quando o DVD continua me satisfazendo, principalmente se conseguir trocar meu home por um com upscaling. E se não me falha a memória, discos de Blu-Ray são mais caros do que os DVDs na mesma época.

  9. Algumas coisas são parecidas sim com a transição do VHS pro DVD, principalmente o preço alto do player e do disco no início.

    Porém o DVD não exigia uma TV de 3..4 mil reais, qualquer telinha aceitava DVD e se não tinha entrada era só comprar um adaptador! E outra, a diferença da imagem entre o VHS e o DVD era perceptível pra TODOS (isso sim foi uma grande revolução), a grande massa não vai considerar muito a melhora da imagem do BD.

    Posso estar errado (e quero estar porque quanto mais popular mais barato fica) mas acho que o BD vai demorar MUITO pra se estabelecer no Brasil, e quando isso acontecer vai estar surgindo outro formato já!

  10. @Jotacê: Realmente, o cenário é muito semelhante!
    Eu lembro que um dos primeiro aparelhos de dvd da época, era um da Pionner, que custava em torno de 3.000 reais. Só rodada DVD-R! huahauha
    Nada de MP3, DivX, DVD-RW, etc.
    E os filmes custavam entre 80 e 100 reais pelo que eu lembro.
    Só recentemente começou a se encontrar dvd’s a 12,90 nas lojas, e aparelhos a menos de 100 reais. Isso era inimaginável na época.

    É que o impacto do DVD foi maior pelas características da mídia em relação ao VHS.

    No VHS a imagem era como a da TV (com antena analógica, claro). Com o tempo, a sujeira na fita deixava a imagem ainda pior, o som era abafado. Vc ter que ficar colocando pra frente para ver uma parte do fim do filme. Ter que rebobinar a fita depois.

    Quando apareceu o DVD foi uma revolução! Menu com escolhas de capítulos, imagem digital, som incrível. E mesmo vc não tendo uma super Televisão e um Home Theather, a melhora na qualidade de som e imagem em relação ao VHS era infinita!

    Agora com o BD, foi um avanço nos termos de som e imagem. Porém as características são quase as mesmas do DVD. E se vc colocar um player BD em uma TV de tubo, sem HDMI, sem home theather, vc não vai notar uma grande diferença em relação ao DVD.

  11. Jotacê, concordo q o cenário seja parecido com os primórdios do DVD, mas isso reforça minha convicção de q ainda há q se passar um tempo até a real popularização e disseminação do formato. O DVD veio pra cá em 1997, não? Em 2003(qdo eu comprei o meu primeiro) um player ainda custava mais de R$500. Foi ali por 2007 q os preços dos players realmente caíram pros níveis de agora(onde se compra um player qqr por 150 paus e um realmente bom por 250) e o formato popularizou, virou febre, e chegamos ao ponto em q praticamente todo mundo tem um DVD player. Ou seja, entre a aparição do formato e sua real massificação levou uns bons 10 anos. Acho sim q o BD deve levar menos, mas não sei se é tão menos assim… Outra coisa, acho q pra maioria das “pessoas comuns”( e mesmo na minha opinião de entusiasta)o “pulo” do VHS pro DVD foi bem maior do q está sendo do DVD pro BD. Por mais q vc me diga o quanto é melhor o BD q seu irmão mais velho(e é mesmo), a diferença do VHS pro DVD era bem mais tangível e impressionava bem mais as pessoas “não entusiastas” a aderirem á nova tecnologia, enquanto q agora, de modo geral, o BD é visto como apenas um “DVD melhorado” ; não causa o mesmo impacto, não desperta a mesma curiosidade e vontade de aderir… Espero estar equivocado, mas acho q o BD ainda leva tempo até ficar realmente popular como o DVD é…

  12. O cenário pode parecer semelhante devido ao tempo que levou para o DVD se popularizar, mas na verdade não é. Quando o DVD chegou, não havia outra forma de se assistir filmes a não ser por meio do VHS que voce alugava nas locadoras. A midia foi substituida e não havia a facilidade da internet que chega hoje para substituir não somente o DVD, mas sim o serviço da locadora. Podem falar o que que quiserem: que nem todo mundo tem banda larga, que o filme demora para baixar, etc, etc, etc, ocorre que o filme nao acaba somente na casa de quem tem banda larga, um copia baixada se “reproduz” em varias copias rapidinho, seja nas escolas, no trabalho, entre amigos, etc, e tudo isso sem considerar o camelo que vende os piratex. Resumindo, o DVD era uma midia obrigatoria na epoca para todo mundo, ou se comprava dvd ou se alugava dvd, hoje nao, para quem somente quer assistir ao filme [que é a maioria], basta baixar, emprestar ou comprar no camelo. Infelizmente no Brasil, um mercado consumidor formando unicamente por “amantes do cinema”, não tem como sustentar a produção do BD. Paralelamente a tudo isso quando o DVD chegou, existia a “industria” do Rental [locadoras] que hoje esta nas ultimas se aguentando no mercado, e foi justamente devido ao potencial de compra das locadoras que o DVD emplacou por aqui, e eu não vejo muito entusiasmo por parte do mercado de Rental com o BD, pelo menos por enquanto, até porque atualmente a locadora está mais preocupada em se manter aberta do que em substituir seu acervo de DVD por BD a curto, medio ou longo prazo.

    • Concordo quando se diz que a diferença entre mídias digitais é menor que entre mídia digital e analógica. Esse é o ponto chave na comparação. Só rechaço a afirmação que até o BD se popularizar “teremos outra mídia para substituir”. Não é do dia pra noite que isso aparece. E tampouco a indústria (fabricantes e estúdios de Hollywood) está interessada em adotar uma nova tecnologia padrão em detrimento de outra assim tão rápido (se isso acontecesse seria até motivo de guerra civil).

  13. O que mais me deixou surpreso foi ler que em 2007 foram lançados 2 mil títulos em DVD. Será que a matéria se referia ao exterior? Porque de alguns anos pra cá eu não vejo nem 200 títulos/ano. 😀

    Rubens, os filmes que você baixa são rips. 😀

    Pegam um Blu-ray original de 20, 30 ou quase 50 GB e comprimem em 8 GB por exemplo. Dizem que é como converter DVD-9 pra DVD-5, em matéria de perda de qualidade, quer dizer, em alguns casos essa nem é tão sentida assim (principalmente se cortar DTS, extras e outras coisas), mas em alguns casos faz diferença sim.

    Quanto à discussão sobre a mídia física, lembro sempre do que disse o fundador do Partido Pirata (Rick Falkvinge) uma vez. 😀

    *******
    O modelo de negócio das gravadoras ficou obsoleto. Basicamente, o negócio delas é transportar informações de um lado para outro, usando discos como meio.

    Acontece que esse serviço perdeu o valor, pois agora qualquer pessoa pode transmitir e receber informações digitais via internet.

    Se as gravadoras conseguirem mudar e oferecer alguma coisa que tenha valor dentro da nova realidade, vão sobreviver.

    Caso contrário, vão acabar – da mesma maneira que, ao longo da história, setores inteiros da economia foram extintos pela chegada de uma nova tecnologia.
    ********
    Pena que o sonho de ver essa venda de filmes e jogos sendo vendidos em larga escala PELA INTERNET ainda esteja muito distante… a começar pela banda larga de péssima qualidade e desigual que temos aqui, onde em Manaus paga-se R$ 200 por 300K, R$ 160 por 2 Megas no NE, e quase R$ 300 por 30 Megas (fibra ótica em SP). E assim vai…

    No papel se começassem a vender tudo pela internet a gente teria bem menos gastos, podendo escolher o que levar, não arcando com frete, impostos, lucro do estabelecimento, royalties… podia até se escolher que estojo/capa levar, além de queimar a mídia em casa e salvar também como backup de segurança (justamente por isso que a mídia física deve continuar existindo).

    E, claro, seria solucionado o problema da escassez, pra desespero de distribuidoras como a Disney e as outras que fazem um número de cópias bastante limitadas… escassez essa que beneficia quem tem o monopólio dos direitos de cópia, não os autores e pessoas envolvidas que querem ver seu trabalho reconhecido.

    Mas…

  14. Jotace, nao estamos falando de outra midia para substituir o DVD mas sim outras formas de distribuicao de filmes que irao atrapalhar o mercado do BD. Nao acredito que chegará uma nova midia fisica mas sim o download que com certeza ficará com o mercado de Rental enquanto a midia fisica continua atendendo o mercado de colecionaveis. É justamente isso que ira atrasar o desenvolvimento do BD, enquanto o DVD quando chegou atendia todo o mercado de home video, o BD tem tudo para ficar vinculado a um nicho de colecionaveis, o que “teoricamente” fará com que os valores dos BDs sigam altos e proibitivos, atrasando o processo de fabricação no Brasil.

    • @Paulo Camargo: Duvido que a distribuição digital DE FILMES vingue aqui no Brasil. Quem tem conexão e banda suficiente e já baixa “de graça” continuará baixando da mesma forma. Quem não tiver (a maioria) vai continuar comprando DVD pirata na esquina.

      Sobrarão aqueles “certinhos” ou aqueles que tem banda suficiente para baixar, mas não tem saco de catar legenda ou a melhor versão de arquivo. E convenhamos, esse contingente é muito pouco para determinar um novo formato de distribuição.

      O problema é que todo mundo se baseia para falar em distribuição digital em padrões comportamentais estadunidenses, as vezes europeus. Esquecem da cultura do pirata que o brasileiro tem. Duvido que uma iTunes Store brasileira tivesse o mesmo sucesso que a americana, simplesmente pq neguinho não quer pagar se pode ter de graça.

      Assim sendo, continuo acreditando que a barreira ainda é a questão da “TV melhor” (ou quem sabe um HT, por que não). Quando isso for superado, as locadoras que sobreviverem até lá se darão muito bem, pois nenhum desses seviços que alugam filmes online nos EUA consegue entregar um filme com a mesma qualidade de um BD, imaginem aqui na terra do macacão.

  15. Jotacê, nao importa se o sistema “legal” de distribuição de filmes vingue no Brasil, como voce mesmo disse, ha outros meios de se conseguir o conteudo, assim como se consegue hoje em dia facilmente musicas em MP3. A questão é que toda esta forma de distribuição de filmes, legal ou ilegal, por meio de download ou midia pirata no final das contas “divide” o mercado e nao contribui em nada para que um novo formato se torne popular. SACD, DVD Audio sao novos formatos que simplesmente morreram nao pela falta de qualidade mas porque hoje o MP3 esta ai, no computador de qualquer um, por meio de i-tunes, edonkey, torrent, etc. A facilidade que se consegue as musicas é tão grande que os novos formatos já estao sendo considerados mortos antes mesmo de se tornarem popular. O BD pode ir para o mesmo caminho devido a esta nova forma de distribuição de filmes, que a cada dia vai se tornar cada vez mais facil.

    • @Paulo Roberto: existe pirataria desde o tempo do VHS, menor do que é hoje com o DVD mas proporcional ao público que via filmes em casa também. Nem por isso os dois formatos morreram ou deixaram de ser populares. Sempre há um contra-ataque da indústria do entretenimento audiovisual, assim como a tela do cinema virou wide quando surgiu a TV. Assim como a cada dia abre uma sala nova de cinema em 3D, para responder aos projetores e ao Home Theater que cada vez mais chega aos lares.

  16. Jotacê, não vou entrar no merito do seu conhecimento em mercado de home video, mas eu estou nele desde 1993 [atuando, como consumidor desde 1980], sao 15 anos acompanhando um mercado, não estou dando uma opinião pessoal, estou dando opiniões baseadas em fatos comerciais e experiencia vivida no decorres deste periodo, não ha nem como discutir pirataria de VHs com o que ha hoje no mercado, a fita pirata era uma opcao da locadora para obter o produto mais barato, ela nunca teve o consumidor final como objetivo, esta comparacao que voce fez simplesmente nao existe, sao duas situacoes completamente diferentes. Não tenho nada contra quem defende um novo formato e inclusive é excelente quando novidades chegam, mas para quem vive do mercado é necessário ser realista. Entendo que ha pessoas querendo defender com unhas e dentes a chegada do BD, mas da minha parte, eu vou continuar opinando, que o formato que poderia substituir o DVD morreu, era o HD-DVD por inumeras facilidades que ele tinha de entrar rapidamente no mercado de home video, agora ficou a “pior” opcao para o mercado e a industria fica criando noticias MENTIROSAS para popularizar o formato. Cada um esta fazendo a sua parte, a industria pode fazer o que quiser, inclusive pagar materias para chamar atencao do seu produto, resta agora ela convencer o consumidor de que ela está certa.

    • @Paulo Roberto: a discussão não está focada numa guerra do que cada um sabe sobre o assunto ou não. Apenas estamos opinando com base no que já aconteceu antes. O debate é saudável e gera mais informação a cada comentário. Assim sendo, um contra-ponto sempre é fundamental para o assunto. Obrigado por participar!

  17. Concordo totalmente Jotace, mas está claro em varias mensagens suas, que voce é um dos que defende o BD independente do que ocorre no mercado, quando na minha opiniao, pelo fato de voce ter o blog, voce deveria ser mais imparcial, rs…, a parte disto, gosto das suas mensagens e noticiais, principalmente as voltadas ao colecionador! Abraços!

    • @Paulo Roberto: isso é uma das coisas que mais se discute sobre os blogs em seminários e nos cursos de comunicação. Blog é em sua essência opinativo, não tem obrigação de ser jornalístico. Tenho que ter ética, obviamente. Mas nunca vou deixar de colocar a minha opinião que, em suma, foi o motivo de eu ter criado este espaço.

      Não sou fanboy do Blu-ray, mas também acho que torcer contra (que não é o seu caso) não vale.

  18. Ótimo. Agora só falta o aparelho baixar para 500 contos e os disquinhos para 29,90. [3]

    Bom, se serve de consolo, me antecipei ao BD, comprei aquela trinca de 3 BDs que o Submarino os fez a 49,90 (3 po 49,90), justamente pq estava muito barato e “preço de gente” (saindo cada BD o PREÇO JUSTO de 18 reais)! Assim vai! De outro jeito não. Agora tô com os 3 BDs aqui (e ansioso que a Sony e o Sub façam mais promos ou bugs de 3 por 49,90 😛 ) mas sabe QUANDO eu terei oportunidade de os ver (ou mesmo saber se as mídas estão ok, sem defeito de fabricação) ? Xiiiiiiiii, nem eu sei! Muito provavelmente daqui há 3, 4 ou 5 anos, quando eu conseguiu comprar uma BOA HDTV (pois não sou rico pra comprar uma e 3 anos depois sair uma outra sem os deitos da anterior) por “preço de gente” (beirando os 2 mil) com um BD player a preço “de humano”, ou seja, até 700 reais chorando muito! E claro, quando os filmes começarem a pipocar a 29,90, 19,90…. 70 paus é ruim de bom, a Sony vai morrer e não vai ver o meu dinheiro………..

    Torço que o BD emplaque, mas tv torço que as HDTVs caiam e o player caia de preço, pois o sucesso do BD depende de um ÚNICO FATOR => PREÇO! Preço da mídia do filme e promoções de carálogo, preço do player, preço da tv (estes 2 últimos não dependem da vontade de Hollywood). Sem preço, babau.

    Sobre venda online de filmes e alugueis: fatalmente isso vai acontecer, mas acho que a pirataria continuará a existir (a pirataria é eterna, é bem mais fácil Los Angeles ser soterrada por um cataclisma natural da falha de San Andreas do que a pirataria acabar ou diminuir radicalmente no mundo…. aliás, pirataria NÃO depende da internet, a internet é só mais um meio….. Se este meio fechar, como querem, outros meios se abrirão…. é o livre arbítrio das pessoas) e que tb o aluguel online em HD existirá (num modelo de filmes ripados de comprimidos demais e com codecs próprios, de qualidade inferior ao BD), dentro de 5-8 anos, quando banda larga rápida esitver acessível e a preços populares. E esse aluguel independerá de pirataria ou do controle da internet (já que a internet não dá pra ser controlada e a pirataria muito menos, então é besteria se preocupar que ela dividrá mercado, pois acho que veio pra ficar).

  19. Não acho que o aluguel online irá impedir o modelo físico do BD, eles existirão independentemente um do outro. Quando os preços das tvs e players cairem só restará á Hollywood começar a só produzir BD e colocar a preços populares e acabou a história.

    Sobre a matéria paga (da editora Abril, a mesma da Veja, vcs queriam o que ? 100% de credibilidade ?) é apenas besteira, ela está se adiantando 6-8 anos ao tempo. Isso na melhor das hipóteses. BD só deve pegar aqui quando TODOS os elementos forem preenchidos? PREÇO da tv, PREÇO do player, PREÇO da mídia e promoções! Um dia vai. Quando ? Cada um chuta: 4 anos ? 6 anos ? 8 anos adiante ? Não sei. Certamente não será antes de 2011 ou 2012.

  20. Paulo Roberto, quais as vantagens do HD-DVD para o Blu-Ray?

  21. A principal vantagem que o HD-DVD possuia sobre o BD estava no processo de fabricação pois as maquinas que replicam o HD-DVD são as mesmas que fazem a produção do DVD, precisaria de pequenas adaptações mas não haveria a necessidade da compra de um novo maquinário como esta acontecendo com o BD. A compatibilidade dos DVDs com o DVD é muito melhor, sendo que os aparelhos de HD-DVD liam DVDs sem problemas algum, inclusive sem restrições de regioes como ocorre com o blu-ray. Ainda que o PS3 tenha um bom desempenho com discos de DVD, ele possui bloqueio de Regiao TAMBÉM para DVD [a parte do bloqueio da Regiao do BD], dessa forma voce é obrigado a continuar assistindo seus filmes em DVD Regiao 4 nos aparelhos tradicionais de DVD. O problema é que depois que voce assisti um BD ou mesmo um DVD em um player Hi-Def, nao quer mais saber dos players tradicionais que exibem 480 linhas porque a diferença na qualidade da imagem é grande. Quanto aos players de Blu-Ray, varios apresentaram problemas para ler DVDs, mas é claro que isso será solucionado com a evolução dos players, porém a questão das Regiões eu duvido muito que haja solução. Resumindo, visto pelo lado comercial, o HD-DVD teria muito mais chances de se tornar uma midia popular devido aos baixos custos de fabricação do que o BD. E ainda que muitos falem da capacidade e qualidade entre ambos os formatos, quem pode conferir de perto filmes em HD-DVD sabe que esta diferença não existia, Transformers em HD-DVD eu considero um dos melhores filmes em Hi-Def [senão o melhor] fabricado até hoje.

  22. Thomas, acho que a única vantagem é a maior facilidade e custo menor de fabricação e adaptação das nossas fábricas. Além do que seria mais fácil um HD-DVD de 3 ou 4 camadas, sendo a última (ou duas útlimas) um DVD misto. Mas de resto ele geralmente perto pro BD em tudo (só existia um featurette que era exclusivo dele que não me lembro agora).

    O bom do HD-DVD é que teoricamente facilitava a guerra de preços de mídias e estúdios, ou seja, os estúdios que apostassem somente no HD-DVD poderia guerrear para roubar público ($) do público dos estúdios exclusivos do BD, através de preços menores. Iriamos ganhar.

    Mas no final da existencia do HD-DVD infelizmente esta teoria caiu por terra quando a Universal, Paramount e Warner aderiram ao BD.

    Porvavelmente tb pq estas majors adoram um cartelzinho de preços e briga de preços não combina com a ganancia delas.

  23. Bem lembrado o processo das camadas, isto estava sendo trabalhado justamente para poder ter um disco com capacidade semelhante ao BD. E como disse o amigo, o custo final do formato era infinitamente menor do que os custos do BD, mas como todo mercado, o que conta são os lucros, o formato liderado pela Sony, acabou ganhando, provavelmente com promessas de lucros muito acima do que seria com o HD-DVD. O problema é que ninguem esperava por exemplo uma crise dessas nos EUA onde o principal corte é justamente no mercado onde o BD se encaixa.

  24. Paulo Roberto

    Há de se levar em consideração que a vitória do formato Bluray em detrimento do formato HD-DVD também se deveu ao sucesso da plataforma PS3 no mercado de videogames, concorda?

    • @NerdMaster: infelizmente o PS3 em termos de videogame Nexgen é o que teve menos sucesso (comparando com o Xbox, pq o Wii não considero Nexgen). Na real o Blu-ray é que tá salvando as vendas do PS3!

  25. Jotacê, eu concordo com o post anterior, nao fosse o PS3, provavelmente o BD não teria ganho a guerra dos formatos, tanto que ha uma marketing forte por parte das produtoras informando na midia e nos proprios discos que o BD funciona em aparelhos de game PS3. Tudo bem que o PS3 nao tenha superado as vendas de seus concorrente no mercado de game, mas ele como player de BR é o modelo mais vendido até hoje, não fosse o PS3, duvido muito que o BD estaria no patamar que esta hoje.

    • @Paulo Camargo: PS3 como videogame ainda precisa melhorar muito. Já melhorou, mas continua na sombra do Xbox 360 (que incrivelmente tem um hardware PIOR). No caso o efeito Tostines não acontece. Foi o BD que salvou o PS3 e não o contrário.

  26. O BD sem o PS3 ja teria morrido faz tempo, o console foi o maior argumento para convencer as produtoras de que o formato teria maior aceitação entre os consumidores que o HD-DVD. Nao estou dizendo que o contrário não seja verdade, para mim o que a Sony fez foi um “casamento” que beneficiou os 2 lados, pois se não fosse feito, ambos os formatos [game e BD] teriam ainda mais problemas para dar certo.

    • Certamente o PS3 colaborou um pouco, mas não foi determinante. Se não fosse ele, haveria um outro player (até mais mais barato) que a Sony trabalharia como solução.

  27. Ótimo. Agora só falta o aparelho baixar para 500 contos e os disquinhos para 29,90. [x]

    Perdi a conta… 😛

    Agora, para o blu-ray substituir o dvd vai demorar muito mais do que levou para o dvd substituir o vhs.

  28. @Jotacê

    Desculpe discordar caríssimo amigo, mas não acho que a ajuda do PS3 foi tão pouca.

    Que na guerra dos games o PS3 não é o mais bem sucedido, eu concordo.

    Mas na guerra dos formatos que houve entre HD-DVD e BD a Sony usou sim (e muuuuuuito) o fato do PS3 ser compatível com os filmes em BD para tentar popularizar o formato e assim ganhar a guerra.

    Nos EUA a Sony alardeava para qem quisesse ouvir (e pra quem não quisesse também, hehehe) que o PS3 era a plataforma de games mais completa em matéria de se tornar uma “central de divertimento” para toda a família por conta de sua compatibilidade com os filmes em BD.

    • @Nerd: O que estou dizendo, convicto, é que como VIDEOGAME o PS3 não tinha (nem tem) tanta força assim para alavancar um formato de mídia novo por sí só. Ele está em 3 lugar na guerra de consoles e as vendas dos os jogos exclusivos da plataforma são ridículas.

      Mas se o Wii (console que mais vende) tivesse Blu-ray, aí sim a afirmação de vocês estaria perfeita!

  29. Nao posso “provar”, rs…. mas tenho absoluta certeza de que se não fosse o PS3 no mercado, o BD jamais teria ganho a guerra dos formatos, ninguem apostaria numa tecnologia cara como esta se já nao houvesse um equipamento compativel com o BD que tivesse um custo beneficio razoavel, pois alem de player o PS3 é um p…. console de game. Player de Blu-Ray esta tendo redução de preço agora, e ainda assim é um tiro no escuro porque muitos ainda tem apresentado problemas diversos, principalmente de compatibilidade para rodar DVDs.

  30. Jotace, nao estamos falando do PS3 como console de Game mas sim como Player de BR, esta é a questão da materia, nao?

    • @Paulo Camargo: desde o início a discussão que estamos fazendo (a partir da colocação do Nerd) é sobre o PS3 ter salvado o Blu-ray ou o Blu-ray salvado o PS3 (o efeito Tostines a que me referi)! Extrapolamos os limites da matéria faz tempo, ahaha!

      O que estou dizendo é que não tem como o PS3 ter salvado o Blu-ray na guerra! Ele ajudou, mas não foi determinante, pois não tinha força para isso como objeto (e não como console) com sucesso de vendas (pelo contrário).

      E o que definiu a guerra mesmo foi a decisão da Warner (e ninguém me convence que não rolou um mar de dólares por trás), mas isso não é o que estamos discutindo!

  31. Somente para complementar o post anterior, a conta que voce precisa fazer é: Numero de PS3 vendidos x Numero de BR Players vendidos, esta é a questão, ai voce vai ver que se não fosse o numero de PS3 vendidos para o mercado de home video [nao game], o BD teria uma porcentagem ridicula de venda de players, inclusive perdendo em numeros para o HD-DVD na epoca da “guerra santa” entre os 2 formatos.

  32. Olá. pessoal:

    Sem querer puxar a sardinha pro lado do PS3, eis aqui uns dados divulgados no DVDFile, tirados da última CES:

    http://www.dvdfile.com/article/blu-ray-discs-2008-performance-13135

    “10.7 milhões de players, incluindo o PS3 (cerca de dois terços da base instalada), foram vendidos nos EUA (drives BD para computadores não incluídos nesse número).”
    – Tradução minha –

    Ou seja: pelo menos uns 7 milhões de PS3 contra cerca de uns 3 milhões dos demais modelos de players BD de outras marcas e mesmo os da própria Sony.

    Acho que embora ele não tenha sido todo esse sucesso que se esperava em termos de console de jogos (como bem frisou o Jotacê, e com toda a razão), como player BD (e também como um centro multimídia, afinal toca arquivos de vídeo, mp3, faz slideshow, tem USB, conexão wi-fi, etc e tal), não se pode negar o seu papel na difusão do formato, claro, somente depois que a Warner trocou de lado.

    Claro que boa parte das pessoas deve tê-lo comprado para jogar, e acabaram aderindo ao novo formato por ele estar disponível nesta plataforma. Mas de qualquer jeito, o resultado final é o mesmo em temos de números de players de BD. Na prática, o que conta é que ele lê BD, e portanto pode também ser usado assim.

    Ou seja: não acredto que ele tenha salvo o BD, mas que ambos (o formato e o PS3) acabaram por se beneficiarem multuamente.

    Abraços digitais!
    Cristiano Leal
    (Feliz possuidor do raro BD de Casino Royale duplo!)

  33. Justamente, não é questão de puxar sardinha para o PS3, pelos numeros que voce informa 70% dos consoles de BD sao PS3, se estes PS3 nao estivessem no mercado, duvido muito que o BD teria sido a escolha final das produtoras. Nao estamos falando de 20 ou 30%, sao 70% dos equipamentos vendidos, é muita coisa em termos vendas. E sem vendas de players, quem vai aposar no conteudo? ninguém. Nem precisa ser profeta, se coloquem voces no lugar destas empresas, quem iria apostar num formato extremamente mais caro que o concorrente, que possui um conteudo similar [ainda que o BD seja melhor na questao de capacidade e interatividade]? O que a Sony fez foi se precaver do fracasso do Betamax contra o VHS, todo mundo sabia que o Betamax era melhor, mas perdeu para o VHS justamente pela tecnologia cara que a Sony preza em manter em seus produtos. O caso aqui é praticamente o mesmo, a diferença é que nao havia um player de Betamax no mercado na epoca que convencesse as produtoras a aderirem ao formato. Se isso acontecesse com o BD agora, seria a mesma coisa, sem PS3, sem BD.

    • Eu também AMO meu PS3, foi a melhor compra que fiz ano passado. Mas vamos pensar fora da caixa (sem trocadilhos)! O que enfraquece o argumento que o PS3 influenciou na escolha dos estúdios é que a Microsoft já estava vendendo um drive de HD-DVD para o Xbox 360 (que tem muito mais unidades vendidas) na época, e já apontava para um novo modelo com o drive de fábrica. Se eu fosse dono de estúdio, (e não tivesse um mar de dólares rolando por baixo dos panos) eu escolheria o HD-DVD, por esses argumentos!

      Agora pensando bem, sorte nossa hein? Imagina o player de alta definição de todo mundo dando 3RLs? ARGH! Salve o PS3!

      😉

  34. Ainda que o PS3 não seja o sucesso que todos esperavam, a marca Playstation ainda é muito forte.

    Pode até ser que o PS3 não tenha decidido a disputa mas certamente fez pender a balança para o lado do Blu-ray e ajuda a popularizar o formato.


Categorias

%d blogueiros gostam disto: