Publicado por: Jotacê | setembro 6, 2008

Mutilação a caminho em “A Bela Adormecida”

Abelaadormecidasite_185

Tudo indica que a edição brasileira de “A Bela Adormecida” (em DVD, pois o BD ninguém sabe quando será lançado) terá um formato diferente da que será lançada nos EUA. Na imagem acima, que é uma reprodução do site oficial do filme aqui no Brasil, está mais essaa bomba (confirmada via e-mail pelo atendimento ao consumidor). Formato de tela 1.85:1 (que por sinal está escrito totalmente errado), sendo que nos EUA o DVD está sendo anunciado por várias lojas como 2.55:1 (aspecto original do filme).

Assim sendo, o pesadelo da mutilação (que eu já dava por encerrado nessas alturas da era de plasmas e LCDs) agora não envolve mais o formato 4×3, e sim o 1.85:1 (a proporção das telas das TVs wide). Dessa forma está estabelecido o novo fullscren brasileiro (que, diga-se de passagem, não é de hoje, como muitos sabem).

Fiz uma comparação com imagens do filme (abaixo) para quem é novato e ainda não está acostumado com essa prática deplorável das distribuidoras nacionais.

 

  • Edição do DVD em 2002 (4×3):

Bela-2dfull

 

  • Proporção original do filme (2.55:1) retirada do anúncio do DVD e BD em 101 Dálmatas:

Bela-2dwide255

 

  • E novo fullscreen (1.85:1) simulado no Photoshop:

Bela-185

Resultado: praticamente 28% a MENOS de tela!

Já até tinha noticiado aqui em maio deste ano que teríamos a versão wide do filme, pois em 2002 ela estava em full 4×3. Agora então, além da decepção com o não lançamento do Blu-ray, temos mais uma tristeza com a Disney Brasil e sua nova parceria com a Arvato.

E nem adianta falar em importar BD ou o DVD do filme, pois clássico Disney sem dublagem não tem o mesmo valor para quem os coleciona.

Que saudades da Videolar!

Anúncios

Responses

  1. Não sou fã dos desenhos da Disney, pra dizer a verdade só curto o Pato Donald, mas na qualidade de colecionador de filmes em DVD E BD não posso deixar de lamentar mais esse absurdo…
    Galera, emails pra distribuidora. Pau neles!!

  2. Só sacanagem nos lançamentos nacionais. Opções: prateleira neles ou importação… “No stress”.

  3. Eu discordo sobre a dublagem. Importarei o Blu-ray e mesmo que ele venha sem dublagem em português pra mim ele terá o mesmo valor que os outros clássicos na minha coleção pois prefiro o som original. Se bem que o ideal era a Disney lançar esse BD por aqui com dublagem/legendas em português… Não anunciaram? Deviam era lançar e não cancelar…

    Sobre a mutilação, eu comentei noutro fórum que DVD mutilado eu não compro de jeito nenhum. Uma pena um clássico como esse ser lançado assim, pois muita gente pretende comprá-lo justamente por causa da dublagem em português e isso é um desrespeito ao consumidor. E que mudança da Disney… De uma edição caprichada de 101 Dálmatas pra uma edição que ainda seja dupla, imagem restaurada e tal, vem com o erro no principal: o filme… A única luz no fim do túnel desse caso é torcer pra que isso seja um erro, mas por esse e-mail recebido pelo JC e por estar especificado no site da Disney BR acho isso altamente improvável…

  4. O que é essa Arvato?

  5. Eu tinha esse desenho em VHS, e como disse o Juliano, desenho clássico sem dublagem não dá!!
    Desenhos que assisti durante anos com meus filhos, que sei as “falas até de tras pra frente”, dubladas, não tem graça mesmo no idioma original. Assim como alguns filmes dos anos 80.
    Estou me perguntando agora pq me desfiz de todos meus VHS :p, como Branca de Neve e A Bela e a Fera…..
    Não são todos os desenhos da Disney que faço questão de ter na coleção, só aqueles que realmente me dão vontade de rever, sozinha mesmo, pq meus filhos a essa altura da vida, já não querem saber de certos desenhos…rsss, se bem que eles amavam a cena da luta com o dragão…
    Agora eu to aqui lembrando do rei chamando:
    “Phillipe….Phillipe….Phillipe”….ah…tem que ser dubladooo, mas é triste ver o quanto será cortado das cenas…., tanto trabalho, tanta arte pra montar um desenho clássico, pra depois o povo “pegar uma tesourinha e mutilar o filme’.

  6. @Felipe: Arvato é a antiga Sonopress, a empresa que replica os DVDs da Disney desde junho.

  7. CALMA PQ PODE SER EQUIVOCO! Na contracapa do DVD de Camp Rock diz ser 2.35 quanto na verde o filme foi gravado em 1.85, ou seja a Disney(Brasil) não sabe dar informações muito precisas. Infelizmente so saberemos quando o DVD estiver na mao ateh calma…..

  8. Eu sinceramente não achei um problema tão grande, não deve ser um corte tão grande assim, além do mais, nós estamos reclamando de barriga cheia, imagina se a Disney faz um acordo com a Microservice, ai vocês iam ver a decadência.

  9. @RAFALVES: essa de errar na capa também é coisa de amador. Na época da Videolar essas coisas não aconteciam. Com isso tudo, já dá pra notar que essa tal de Arvato é uma empresa de DVDs de banca mesmo. Só quero ver (ou não) como será o estojo e a luva dessa edição.

    @Dylan Mônaco: não podemos nos acostumar com esse tipo de prática, isso não está certo. Qual o motivo de ser diferente para nós brasileiros? Não merecemos o mesmo tratamento de outros países? Claro que sim!

  10. Preciso fazer um registro “reparador”. Acabo de chegar do shopping e lá vi o DVD com dois discos de “Camp Rock”. Apesar do erro na descrição do formato de tela (já relatado aqui nos comentários), a luva é bem grossa e dentro parece ser DIGIPAK!

    Se a embalagem de “A Bela” for semelhante, não há do que reclamar sob este aspecto.

  11. Essa é a edição CD + DVD, porque eu tenho a com dois DVDs Não traz nenhum tipo de luva, apenas uma cinta dizendo que vem um dvd bonus….. eu acho que realmente a Disney desandou….. Tomara que a bela tenha a capa igual a da Hannah Montana que é exatamente igual a essa que voce falou (cartona e metalica). A da Bela deve ser igual a do Indiana Jones , ou seja super fina…. melhor cruzar os dedos….

  12. Se esse for o aspecto do DVD, sem chances ! Espero por Pinóquio ano que vem !

  13. Jotacê daqui a pouco você vai mudar o nome do blog para A Bela Adormecida, pois últimamente você só faz post para o desenho da Disney.

    Estou com saudades do Dose Diária de Inveja e você disse que estava preparando um post sobre uma caprichada edição brasileira que até hoje você não postou (por acaso esse post foi dos Indomáveis).

    Uma pena essa seca de post, pois já tinha me acostumado a entrar todos dias no blog.

  14. Bem, num caso desses, eu mesmo faria um dvd reautorado pra mim. É claro que compraria o importado original, mas daria um jeito de alugar o nacional só pra extrair a faixa da dublagem, e faria uma cópia do importado inserindo a dublagem nacional como uma nova faixa de áudio. É triste, afinal, se eu pago, eu espero que esse trabalho já tenha sido feito, e BEM-FEITO, de fábrica. É por isso que SÓ o importado receberia meu dinheiro 😉

  15. Eu creio que deve ser erro de digitação. A coisa mais comum do mundo é designer de embalagens que não sabe o que é relação de aspecto e só porque é 16×9 (anamórfico) acha que quer dizer que é 1,85×1. Então nem me preocupo com isso. Mas se por um acaso realmente tivermos um DVD mutilado, aí é pra matar mesmo.

  16. Caros amigos,

    Só para constar, antes de mais nada, vocês deveriam conhecer melhor o produto antes de ficarem escrevendo linhas e linhas sobre um assunto que vocês não dominam. Só para começar a Videolar não tem nada a ver com a qualidade, com o formato ou qualquer outra qualidade do santo DVD que todo mundo recebe nas lojas. E lembrem-se de que quanto mais o produto for elaborado, mais caro ele vai ficar. Pergunto a todos: será que o mercado brasileiro tem dinheiro para acolher este tipo de produto?

  17. Olá Tina!

    Pelo jeito você está representando a Arvato. Seja bem-vinda!

    Neste blog contamos com a opinião de colecionadores de verdade, com anos de experiência e vasto conhecimento do assunto. Não é muito elegente de sua parte ficar duvidando dos nossos conhecimentos.

    A respeito do que você escreveu, a Videolar é atualmente a melhor replicadora de DVDs do Brasil (e talvez da América Latina). Não há comparação entre ela e a Microservice ou qualquer outra empresa do ramo. Os DVDs não são maravilhosos, mas estão bem acima da média das outras, inclusive da empresa que você, provavelmente, representa.

    Sobre o produto ser mais caro, não há nenhuma dúvida, ainda mais com a ganância das distribuidoras locais. Mas lembre-se, por exemplo, que pode ser oferecida mais de uma edição, para que o próprio colecionador resova qual adquirir.

    E ainda posso dizer que o mercado brasileiro não tem cultura para valorizar bons produtos, mas os colecionadores tem o DIREITO de exigir algo melhor, o que além de muito justo, é totalmente possível de ser retomado (veja a história dos DVDs no Brasil, na aba superior aqui do blog).

    Obrigado pelo seu comentário, espero que se torne uma leitora mais frequente.

  18. “assunto que vocês não dominam”…

    Essa foi a melhor piada que já vi por aqui. Mas é aquela história… melhor de tão ruim!.. Hehe…

    E tem uma parte do post da Srª Tina que me fez lembrar o Borat e seu “not” ao final da sentença, mas com uma pequena adaptação, assim:

    “quanto mais elaborado for o produto, mais caro ele vai ficar…” …para as distribuidoras.

    Qualquer um com um mínimo de conhecimento de economia e, especificamente, do mercado de DVDs sabe que a diferença de custo de produção de uma unidade caprichada e uma unidade… ãh, digamos, “suídea”… é de pouquíssimos reais.

    Ou seja, para o consumidor, principalmente para quem tem “cacife” para ficar comprando DVDs, o preço final de um DVD reflete pouco essa diferença.

    Mas se ela é insignificante na escala microeconômica do preço – embora se mostre abismal na queda de qualidade do produto -, por outro lado pode ser bem significativa se vista do ponto de vista macroeconômico da produção em escala, na ordem de milhares – e mesmo milhões – de DVDs.

    Portanto, o que aconteceu na indústria de DVDs brasileiro é que o mercado (leia-se “consumidores”) ditou um preço abaixo do que a ganância das distribuidoras estavam acostumadas e que assim esperavam que continuasse.

    Embora sempre apareça uns e outros por aí querendo convencer desavisados que as distribuidoras baixaram os preços por altruísmo, caridade, ou qualquer coisa que o valha.

    Na-na-ni-na-não. Essa por aqui não cola. Aqui não há nenhum desavisado, muito pelo contrário.

    O que de fato aconteceu foi que as distribuidoras foram forçadas, obrigadas, compelidas, impelidas, constrangidas, pressionadas, coagidas a baixar os preços e, desde então, iniciaram um processo atroz de piora na qualidade de seus produtos.

    Dessa forma tentam reverter a mitigação – imposta pelo mercado – da enorme margem de lucro (vide, a contrário senso, os preços no exterior, onde, mesmo se pagando os pesadíssimos impostos alfandegários brasileiros, consegue-se produtos bem mais baratos que os nacionais, além de muito melhores em matéria de qualidade…) para voltar a satisfazer suas demandas ganaciosas.

    E peço perdão se não fui tão paciente, gentil, elegante e cortez como o JC no comentário acima. Mas é que às vezes “tem cada uma que parecem duas”… :p

  19. Bom, sobre essa edição de LIXO que a Arvato pretende defecar, eu mesmo não compro, sendo que irei dar prioridade ao importado !

    Ao comentário da garota acima: HAHAHAHAHA

  20. Eu sou fã do Bruno!!! 😀

    Que “texto” é esse???!!!
    Eu não escreveria tão bem!!
    Assino embaixo!!!

  21. Faço coro junto a Helena:

    Eu sou fã do Bruno!!!:)

  22. Parabéns pela diplomacia JC. Acho q nem todos os leitores do blog tem essa paciência.

    Qto à Sra. Tina um pedido: pareceu realmente q a sra trabalha para uma empresa de distribuição, então por favor, divulgue o blog à outros parceiros da área. Assim vcs irão ver q estamos de olho no mercado e no alto nível que procuramos manter em nossas coleções. O blog agradece.

    P.S.: o Bruno elevou o nível aqui, desculpem os erros de português. A intenção é a mesma.

  23. Opa, agradeço os elogios e aproveito para também pedir desculpas pelos meus erros de português. A propósito, “cortez” foi terrível. Claro que eu quis dizer “cortês”… 🙂

  24. A videolar é tão boa que os dvds quase todos da américa latina são feitos aqui, tendo em vista a edição especial dupla de os infiltrados que não chegou aqui no brasil, foi feita na videolar daqui, tal qual a edição especial de a bela adormecida duplo também com dublagem e legendas em português, que só foi lançada no méxico.

  25. Para Tina, só tenho duas indagações:

    1 – Se a informação divulgada sobre o formato a ser lançado no Brasil, de 1.85:1 está correta, gostaria de saber o que diabos isso tem a ver com o preço do produto? Será que 2.55:1 é mais caro do que 1.85:1?

    2 – Por outro lado, se a informação de 1.85:1 está incorreta, então isso prova que, nós, reles colecionadores, sabemos sim do que estamos falando.

    P.S.: tem gente que tem uma personalidade tão fraca, que acaba assimilando a mentalidade corporativa da empresa em que trabalha. Essa fraqueza de personalidade faz com que tais pessoas percam o senso crítico e passe a defender o ponto de vista da empresa, mesmo que seja simplesmente “esperneando”. Preferem desqualificar os interlocutores, em vez de apresentar seus argumentos (se é que existem).

  26. Dizer que nós não entendemos de DVD é coisa de quem realmente não entende de DVD.

    Tina, vc provavelmente trabalha na Arvato há pouco tempo (ou, pelo menos, há menos tempo do que eu coleciono filmes) e tem a mesma mentalidade atual da Warner Brasil: “se baixarmos o preço de custo, o lucro será maior! $$$!”. É a mesma cabeça de executivos de Hollywood que sempre querem idiotizar, infantilizar, cortar e “familiarizar” os filmes pra aumentar a bilheteria. Aí vem um The Dark Knight e prova que a platéia não é tão idiota assim, e que talvez eles façam isso simplesmente porque querem garantir uma grana rápida e fácil porque não sabem se daqui a um ano ainda terão seus empregos.

    O fato é que brasileiro nunca comprou filme antes do advento do DVD. Foi um hábito criado do zero pela (então) nova mídia, e não duvide que parte disso foi a qualidade de alguns lançamentos, com extras interessantes, embalagens de qualidade e formato original, com opções de legenda e dublagem, atendendo a todos os gostos. Só que, de uns tempos pra cá, a ganância imediatista tomou conta do mercado brasileiro, como o JC já dissecou tão bem em inúmeros posts nesse blog. Eu mesmo tenho uma coleção com 1200 títulos hoje em dia. Só que, atualmente, menos de 15% das minhas compras são de produtos produzidos no Brasil. E isso acontece porque, pelo mesmo preço (ou até menos, na maioria das vezes) compro um produto de qualidade infinitamente superior de uma loja dos EUA.

    A Warner lança seus boxes de desenhos divididos em “volumes” (DVDs simples que custam 29,90 cada). A Fox (a mesma oportunista que quer impedir o lançamento de Watchmen) “inventa” o slim e deixa de legendar extras. A Warner aleija os duplos para simples ao lançá-los aqui. A Universal faz parceria com a Studio Canal e mutila a imagem de seriados. A Europa lança “duplos” que têm os mesmos extras dos simples da R1. A Warner (de novo) lança cada temporada de uma mesma série com uma embalagem diferente, e pára outras séries no meio. A Focus lança produtos sem áudio original…e por aí vai. E todas elas enchem os DVDs de vinhetas, avisos do FBI e comerciais condenando a pirataria (isso pra nós, que já compramos o original).

    Se a mentalidade das distribuidoras é “dane-se a qualidade, eu quero é mais lucro”, por que o consumidor deveria ter consciência e comprar o produto original? Eu, hoje em dia, penso da mesma forma que elas. Compro o que me interessa (geralmente de sites gringos, porque não quero dar meu dinheiro pra esses canalhas). Vejo vários no cinema. Mas o que eu acho que não merece meu dinheiro, baixo da internet e assisto de graça. Por mim, essas distribuidoras brazucas podem falir à vontade. O desemprego das pessoas que idealizam esse mercado nacional seria muito bem-vindo. Por mim, podem passar fome.

    Acho que todo colecionador deveria fazer o mesmo. Pra quê dar dinheiro pra perpetuar esse modus operandi? Parafraseando o Capitão Nascimento, “vocês é que financiam essa merda!”

    Eu me enchi.

    O último a sair apague a luz.

  27. Uma resposta pra querida tina

    Tininha minha cara se o mercado brasileiro tem dinheiro pra pagar um produto mais qualificado? eu acho que tem viu eu pelo menos tenho dinheiro e grande parte dos colecionadores conseguem comprar e bancar seu luxo, mas acho que talvez você esteja certa afinal só assim para entender a política das grandes empresas de video do brasil de contratar profissionais desqualificados, sem conhecimento tecnico, mas eu entendo deve ser caro pagar por gente assim ne ai preferem e pagam o baratinho, não sei se você trabalha na famigerada Arvato mas se trabalha deve ganhar mal ne afinal a politica atual e de contençao de custos na produção e na contratação, so devo dizer que todos nós saimos perdendo


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: